Entenda como um cabo de carregador de Iphone pode ser capaz de hackear

- Publicidade -

Quando o celular está prestes a acabar a bateria, e seu carregador próprio não está disponível, a grande maioria das pessoas não pensa duas vezes antes de pegar emprestado um cabo de carregador e conectá-lo. No entanto, o projeto de um hacker quer mostrar para as pessoas o quanto essa prática pode ser nociva.

O hacker, conhecido como MG, deseja aumentar a conscientização sobre os perigos dos cabos de carregadores, potencialmente maliciosos. Um hacker, utilizando um cabo chamado O.MG, cuja a aparência lembra fortemente o cabo USB Lightning da Apple, montou uma pequena estrutura, utilizando Wi-Fi, que, quando conectado a um computador, permite a um hacker próximo comandar o aparelho.

A invenção

Em outras palavras, o hacker obtém, remotamente, total controle dos dispositivos que quer invadir. Portanto, para fazer com que o truque funcione, ele só precisa trocar o cabo do iPhone de uma pessoa, pelo cabo malicioso. O próximo passo é aguardar que a pessoa conecte seu telefone, utilizando o O.MG a um computador.

Assim, quando a pessoa se conectar a uma rede Wi-Fi próxima, o invasor poderá transmitir diversas informações nocivas ao dispositivo. Ou, realizar a coleta de qualquer tipo de informação que ali esteja armazenado. E isso também pode ser utilizado para o controle de outros dispositivos da Apple, como os MacBooks.

Uma vez que o hacker consegue se conectar ao computador, ele também poderá controlá-lo remotamente. Páginas falsas mas realistas de sites, por exemplo, podem ser apresentadas aos usuários do computador para que suas informações sejam roubadas. Outro truque é bloquear remotamente a tela de um computador, para que o usuário tenha que inserir sua senha de acesso novamente.

MG focou sua primeira tentativa no cabo Lightning. Entretanto, o O.MG pode ser usado em praticamente qualquer outra estrutura de carregamento e contra a grande maioria de computadores. “Este cabo Lightning específico permite cargas úteis de ataque multiplataforma, e o implante que eu criei é facilmente adaptável a outros tipos de cabos USB”, disse MG. “A Apple é a mais difícil de implantar, então foi uma boa prova de capacidades”.

Ameaça

Em seu trabalho para a Verizon Media, MG é responsável pelo desenvolvimento de métodos e técnicas inovadoras de hacking. Sendo estas utilizadas para identificar e corrigir vulnerabilidades de segurança, antes que invasores as encontrem. Apesar do O.MG ser um projeto pessoal, MG acredita que sua criação pode ajudar outras pessoas a se defenderem contra diferentes tipos de ameaças.

“De repente, agora temos hardwares implantados pela vítima, que pode não ser notado por períodos muito mais longos”, explicou MG. “Isso muda sua maneira de pensar sobre as táticas de defesa. Vimos que a NSA tem capacidades semelhantes há mais de uma década, mas não está na maioria dos modelos de ameaças porque não é vista como bastante comum”.

“A maioria das pessoas sabe dos perigos de usar flash drives aleatórios nos dias de hoje, mas eles não esperam que um cabo seja uma ameaça”, disse ele. “Isso [sua invenção] ajuda a impulsionar a educação em casa que é mais profunda”.

O hacker gastou muito de seu tempo e muito dinheiro investindo em seu projeto. Cada um dos cabos levou cerca de 4 horas para ser montado. Outros hackers também se envolveram no projeto para escrever parte do código da ‘armadilha’. Em futuro bem próximo, MG pretende vender os cabos online.

No momento, MG e sua equipe trabalham em melhorias na funcionalidade do cabo e pretendem expandir seu conjunto de recursos. “Isso realmente se resume a tempo e recursos neste momento. Eu tenho uma lista enorme na minha cabeça que precisa se tornar realidade “, disse ele.

FONTE: Fatos Desconhecidos