Assembleia de recuperação judicial da Dedini é suspensa novamente, Sindicato e ex-trabalhadores querem a liberação dos R$ 15,8 milhões

botao galeria

A Assembleia de recuperação judicial dos ex-trabalhadores do Grupo Dedini foi suspensa novamente (29/08), após alguns credores da empresa solicitarem alterações no plano do processo.

Os ex-trabalhadores da Dedini, juntamente com o Sindicato dos Metalúrgicos de Piracicaba, somente concordaram com a suspensão após ficar condicionado à liberação imediata dos R$ 15,8 milhões da venda do terreno do estacionamento do Shopping Piracicaba. Este dinheiro esta sendo transferido ao juiz Marcos Douglas Veloso Balbino da Silva, condutor do processo de recuperação judicial, e aguarda a comprovação do depósito para decidir sobre o pagamento aos ex-funcionários.

A medida contemplará tantos os ex-funcionários de Piracicaba como também de Sertãozinho. Segundo o advogado do Sindicato dos Metalúrgicos Dr. Luis Fernando Severino, “a expectativa é a obtenção da ordem judicial de liberação imediata do montante, haja visto que não houve discordância dos credores de outras classes, além das recuperandas aceitarem o pedido do Sindicato de liberação imediata”, destacou.

A próxima assembleia esta marcada para ocorrer no próximo dia 19 de setembro, segunda-feira, às 8h30, no Ginásio Municipal de Esportes “Waldemar Blatkauskas”.

A Dedini apresenta no plano de recuperação judicial como pagamento dos débitos dos ex-trabalhadores além dos R$ 15,8 milhões, a venda da Dedini Refratário, a Codistil Nordeste, o pagamento de R$ 480 mil mensais, como também 50% sobre o licenciamento de marcas e patentes.

Durante a assembleia o Sindicato dos Metalúrgicos solicitou a exclusão de um item do plano de recuperação judicial referente ao pagamento dos débitos via depósito bancário. A entidade entende que há outras alternativas, pois muitos trabalhadores estão com problemas no banco devido ao atraso dos pagamentos.

De acordo com João Carlos Ribeiro, Jipe, diretor do Sindicato dos Metalúrgicos de Piracicaba, “a liberação deste dinheiro irá contribuir para resolver grande parte deste impasse das verbas rescisórias dos trabalhadores”, comentou.