Preço nas alturas

O clima quente do início do ano, com a ocorrência de chuvas torrenciais e mais amenas por longos períodos, são os motivos indicados para o aumento do valor do tomate que, geralmente, é vendido a R$ 4,90 ou R$ 5,90 o quilo, está custando, nos locais pesquisados, nesta quinta-feira (11), pela Gazeta, de R$ 8,00 a R$ 10,60 e a tendência é que essa alta continue ainda por mais alguns dias.

“Janeiro e fevereiro foram críticos para a produção por causa do calor e das chuvas. Isso reflete nos preços dos hortifrutis agora. Outro fator da alta é a proximidade da Semana Santa, que tradicionalmente já tem uma pequena elevação dos preços”, explicou o comerciante Fernando Pachiani.
Ele afirmou que o fornecedor está cobrando R$ 130,00 o preço da caixa com 20 quilos de tomate. “A cebola e a batata também subiram. O saco com 20 quilos de cebola está custando R$ 80,00, e a saca de 50 quilos da batata chegou a R$ 200,00”, comentou. “Esses preços estão altos também porque atualmente a produção está nas mãos de poucos. Estamos enfrentando dias difíceis, com o clima oscilando, a crise econômica ainda prejudicando todos e o governo não está passando confiança”, afirmou.
O clima afetou também outro alimento que sempre acompanha o tomate: a alface. “A produção começa a melhorar um pouco, mas ainda está difícil porque chove. Também está em falta no mercado o agrião de terra, espinafre, brócolis comum e a salsa. O produtor não consegue produzir. Essas folhagens estarão com mais qualidade no clima frio, quando cai o consumo. É difícil ser produtor de hortifruti no Sudeste”, disse o comerciante Oscar Libardi.
Segundo ele, a alta nos preços fez a venda do tomate recuar cerca de 20%. Na sua banca o preço do quilo está R$ 9,80. “Aqui temos uma clientela que se preocupa com a qualidade e o produto à venda está bom. Mas percebemos que as pessoas estão comprando menos”, relatou.
Uma delas é Mariana de Souza. “Antes de estar tão caro, consumia um quilo por semana. Agora, uso só quando necessário. Ontem mesmo (nesta quinta-feira) fiz um peixe e usei apenas quatro tomates. Comprei somente eles e assim vai ser até o preço abaixar. No mercado perto da minha casa, o quilo está R$ 10,60”, disse.
Esalq/USP
Cepea apura alta dos preços
O Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea) divulgou, na última quarta-feira (10), a análise dos preços do tomate salada (vida longa 3A) que continuam subindo nas principais Centrais de Abastecimento do País, ultrapassando R$ 100,00 a caixa, entre os dias 1º e 5 de abril.
“Esse cenário se deve ao clima chuvoso e quente das últimas semanas, que afetou principalmente os frutos em Caçador (SC). Nas demais Regiões, como Guapiara (Itapeva (SP) e Espírito Santo, os produtos estão mais miúdos. Por outro lado, no Sul de Minas Gerais, estão mais graúdos, porém, apresentam um pouco de acidez. De acordo com colaboradores do Cepea, essa variação na qualidade dos tomates deve permanecer nos próximos dias”, informou o órgão.
No atacado de Campinas (SP), o preço praticado no período foi de R$ 106,67/caixa, em um aumento de 27,22%, frente a semana anterior e, em São Paulo (SP), o produto foi comercializado a R$ 108,54/caixa, em uma elevação de 17,75%, na mesma comparação. (Fonte: Cepea/Hortifruti – www.hfbrasil.org.br)
FONTE: Gazeta de Piracicaba