Conespi debate reforma da Previdência na Câmara dos Vereadores

O Conselho das Entidades Sindicais de Piracicaba (Conespi) promoveu (14/05), na Câmara de Vereadores, um debate sobre a proposta do governo federal de Reforma da Previdência Social. O evento realizado em parceria com o Dieese, Centrais Sindicais e a União Sindical de Limeira (USL), contou com a presença de José Silvestre Prado de Oliveira, coordenador de relações sindicais do Dieese.

O evento foi aberto pelo presidente do Conespi, e do Sindicato dos Trabalhadores Metalúrgicos de Piracicaba e região, Wagner da Silveira, Juca, explicando que o objetivo é de capacitar os dirigentes sindicais com a finalidade de desenvolver um trabalho de mobilização da sociedade contra a reforma da Previdência Social, que é nefasta aos trabalhadores.

O coordenador de relações sindicais do Dieese, José Silvestre Prado de Oliveira, criticou duramente a proposta de reforma da Previdência Social do governo federal e disse que a queda na arrecadação é fruto de desonerações, da recessão, provocada pela crise econômica, que se agrava com mudanças feitas no país, como a reforma trabalhista, o teto de gastos públicos, a terceirização e a falta de geração de novos empregos.

Oliveira, disse também não acreditar que a reforma da Previdência vá combater privilégios e que reduzir a contribuição de quem ganha menos. Explicou que haverá pequena redução na alíquota, mas o trabalhador terá que contribuir por muito mais anos. A reforma da Previdência, de acordo com José Silvestre Prado de Oliveira, atinge também os aposentados, que deixarão de ter a garantia da correção de suas aposentadorias, assim como atingirá também os pensionistas, que terão boa parte do valor do segurado cortada. “A reforma vai sair dos que ganham menos, uma vez que a economia será feita sobre o regime geral da Previdência, enfim, dos mais pobres”, complementou.

Para o coordenador do Fórum da Previdência, vereador Matheus Erler (PTB) todas as formas de discussão sobre o tema devem ser feitas, a fim de esgotar as dúvidas e expor os efeitos da proposta do Governo. “O Conespi tem tido um papel essencial nesta trajetória de mostrar os prejuízos da reforma aos trabalhadores e à sociedade e o papel do Fórum é abrigar estas discussões”, disse.

Participaram do debate a diretoria do Sindicato dos Trabalhadores Metalúrgicos de Piracicaba e região, dirigentes sindicais de Cerquilho, Limeira, Piracicaba, Rio Claro, Rio das Pedras, Santa Bárbara d´Oeste, São Pedro Tietê, Campinas. Movimentos sindicais e de partidos políticos, como o PT e PC do B.

 

Com informações da assessoria de imprensa do Conespi.