Outubro Rosa alerta sobre cuidados e prevenção ao câncer de mama

- Publicidade -

Em outubro, monumentos e cidades ficam mais rosa. E isso acontece por causa do Outubro Rosa, um movimento mundial que a cada ano vem ganhando mais força a fim de conscientizar todas as mulheres sobre a importância da prevenção ao câncer de mama. No Brasil, é o tipo de câncer que mais causa morte entre as mulheres, perdendo apenas para o de pele não melanoma, segundo o Instituto Nacional do Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA). Já a Organização Mundial da Saúde (OMS) alerta que se essa tendência continuar, a incidência da doença no continente americano pode crescer 46% até 2030.

Para reduzir essa estatística, o ditado ‘prevenir é melhor que remediar’ torna-se ainda mais verdadeiro, já que a detecção precoce da doença é a forma mais efetiva de combatê-la. “Realizar a mamografia e as visitas periódicas ao seu médico são fundamentais, já que estão diretamente relacionadas ao estágio da doença e ao aumento das chances de cura”, afirma a médica oncologista Bruna Pegoretti, diretora do departamento de Medical Intelligence da Evidências – Kantar Health. Além disso, manter hábitos saudáveis aliados à prática de atividades físicas também são fatores importantes na saúde da mulher. “Parece ‘clichê’ falar isso, mas o impacto positivo desses hábitos é de uma magnitude incrível, inclusive existem estudos comprovando que mesmo após descobrirem o câncer de mama, mulheres que adotam bons hábitos têm redução de mortalidade considerável pela doença em relação às mulheres que seguem com maus hábitos”, pontua Pegoretti.

É comum associarem o autoexame como forma de prevenção do câncer de mama até mesmo na divulgação do Outubro Rosa. Porém, especialistas pontuam que apesar do grande apelo informativo, o autoexame não é efetivo na detecção e não pode ser substituído pela mamografia. “Já surgiram estudos há alguns anos que compravam que o autoexame na verdade não ajuda, sendo a mamografia o exame que realmente irá auxiliar na detecção do diagnóstico precoce”, alerta Pegoretti.

O movimento

O Outubro Rosa surgiu pela primeira vez na Corrida pela Cura, realizada em Nova York (EUA) nos anos 1990 e desde então, ganha âmbito mundial, tendo diversos monumentos ganhando a cor rosa associada à luta e cura da doença. “O Outubro Rosa alavancou a busca por informação, e isso é muito bacana” ressalta Pegoretti. “Outro ponto forte é a desmistificação da doença já que, quanto mais falamos, mais sabemos lidar, mais encontramos apoio”.

 

FONTE: evidencias.com.br