Com problemas no pagamento, coletores de lixo de Piracicaba paralisam atividades

Trabalhadores da coleta de lixo, da varrição de rua e da usina Ecopark estão em paralisação desde sábado (9) em Piracicaba (SP). A adesão ao movimento chega a 60% dos funcionários, segundo o sindicato da categoria, e é motivada por atraso no pagamento. A prefeitura informou que tudo deve ser pago nesta segunda-feira (11) e normalizado na terça-feira (12).

Segundo o Sindicato dos Empregados em Empresas de Asseio e Conservação e Trabalhadores na Limpeza Urbana e Áreas Verdes de Piracicaba e Região (Siemaco), o pagamento estava previsto para cair na quinta-feira (7).

Os trabalhadores aguardaram até sexta-feira (8), mas o salário ainda não tinha caído, então começaram a aderir ao movimento de paralisação, conforme a entidade.

De acordo com a Prefeitura de Piracicaba, por causa disso o serviço de coleta de lixo foi comprometido na noite de sábado (9) e manhã desta segunda-feira.

Esta é a terceira vez em um ano que os funcionários da coleta de lixo e varrição paralisam as atividades por problemas de pagamento. A última ocorreu em julho de 2018, quando houve protesto contra atrasos no pagamento e disponibilização de benefícios da prefeitura.

Problema deve ser resolvido nesta segunda-feira, afirma Sedema

A Secretaria Municipal de Defesa do Meio Ambiente (Sedema) informou que fez o repasse normalmente de dinheiro à Piracicaba Ambiental, empresa responsável pela coleta de lixo e varrição em Piracicaba. No entanto, conforme a pasta, houve um problema na transação bancária entre a companhia e os funcionários, o que motivou o não pagamento do salário.

A Sedema afirmou ainda que o pagamento será feito nesta segunda-feira, e a coleta deve ser totalmente normalizada na terça-feira (12).

Já a Piracicaba Ambiental não se manifestou até a publicação desta reportagem.

FONTE: G1 Piracicaba