70 Anos de História do Sindicato dos Metalúrgicos de Piracicaba: o congresso e a passeata de 1963

A primeira metade da década de 1960 foi marcada por um fervilhar político e por profundas transformações sociais e econômicas no Brasil. Nessa época, ocorreu o Golpe Civil-Militar (1964), a intensificação das migrações do campo para as cidades, processo que já vinha acontecendo desde anos 1930, mas que em 1960 levou à organização partidária dos trabalhadores do campo, além de uma significativa estimulação do processo de industrialização nos pequenos e médios municípios do país.

Especificamente no ano 1963, a cidade de Piracicaba foi escolhida como sede do III Congresso dos Trabalhadores Metalúrgicos do Estado de São Paulo. O evento reuniu tanto operários como lideranças sindicais de todo o estado, e ocorreu no Clube 13 de Maio entre os dias 06 e 08 de Junho.

O principal tema debatido no congresso foi a reforma agrária. Embora esse fosse um assunto bastante discutido por toda a sociedade no início da década de 1960, para os metalúrgicos piracicabanos esse tema possuía uma importância particular: muitos operários antes de entrarem nas fábricas do município haviam sido trabalhadores do campo, grande parte deles ainda morava nas zonas rurais e quase todos possuíam parentes que trabalhavam e viviam da lavoura, isso porque houve uma verdadeira conjugação do desenvolvimento agrário com o setor metalúrgico no município.

No último dia do congresso centenas de operários saíram do Clube 13 de Maio e percorreram a cidade numa grande passeata até a prefeitura. A marcha teve o objetivo de reivindicar não apenas o reajuste salarial dos operários nas indústrias, mas também a melhoria da vida dos trabalhadores do campo para que esses tivessem seus direitos assegurados e não precisassem deixar suas localidades em busca de dignidade. Tanto o congresso como a passeata foi importante para a construção da solidariedade de classe entre os metalúrgicos piracicabanos e foram fundamentais para que o sindicato fortalecesse suas bases e conseguisse participar ao lado dos trabalhadores, no ano seguinte, de uma das maiores greves da categoria.

Arquivo Histórico do Sindicato dos Trabalhadores Metalúrgicos de Piracicaba e região – 

Fonte: Fabiana Junqueira