Classe trabalhadora e os desafios permanentes

O 1º de maio, Dia do Trabalhador, é uma data comemorativa dedicada a conquista dos trabalhadores durante toda a história.  Neste ano, a pauta prioritária do movimento sindical é por empregos, direitos, democracia e vida.

Os últimos anos tem sido muito desafiadores para a classe trabalhadora, primeiramente por que tiveram que trabalhar num quadro pandêmico que se apresentava e que nunca havia acontecido, e que trouxe como consequências em uma pós-pandemia o aumento do desemprego (11,9 milhões de pessoas, no trimestre de janeiro a março de 2022 – dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua, divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, IBGE), a falta de peças, o medo, o crescimento assustador da fome e da miséria, a incerteza imposta pelo cenário econômico, como também os constantes ataques aos direitos trabalhistas que contribuem ainda mais para a precarização do trabalho, dentre tantas outras situações.

Mesmo não tendo muito o que comemorar, o 1º de maio reacende dentro de cada um de nós, a esperança de um futuro com mudanças que transformem o país.  Sabemos que há ainda muito a ser feito na implementação de políticas públicas que são fundamentais para o desenvolvimento social e econômico do Brasil.

É um desafio diário e permanente, por isto é importante que a classe trabalhadora se mantenha unida, fortalecendo o Sindicato, para que juntos continuemos resistindo e nos mobilizando contra os retrocessos, em prol da construção de uma sociedade mais justa e igualitária.

Wagner da Silveira, Juca, presidente do Sindicato dos Trabalhadores Metalúrgicos de Piracicaba e região.